segunda-feira, 23 de maio de 2011

O capitalismo e a construção do espaço geografico

O espaço geográfico passou a ser modificado quando o homem começou a produzir, ou seja, a extrair da natureza os elementos  indispensáveis à manutenção da vida. Mas foi o modo de produção capitalista que determinou as mais profundas alterações nesse espaço.
Estabelecimentos bancários, cartões de credito, talões de cheque, aplicações financeiras, mercados de capitais, cotação das Bolsas de Valores, do dólar, do ouro...Quem ainda não utilizou esses termos, extremamente comuns  no cotidiano das pessoas, na verdade são partes essenciais para o funcionamento do sistema econômico e social que rege o mundo de hoje: o sistema capitalista.

Como funciona o capitalismo
  • Tem como o principal objetivo o lucro.
  • Baseia-se na propriedade privada dos meios de produção.
  • Tem no dinheiro ou similares (cartões de crédito, cheque) o seu principal meio de troca.
  • Funciona conforme a lei da oferta e da procura-economia de mercado.
  • Nas relações trabalhistas predomina o trabalho assalariado. O trabalhador "vende" sua força de trabalho aos donos dos meios de produção, recebendo um salário, enquanto o proprietário fica com os lucros.
  • No sistema capitalista, a sociedade é baseada na divisão de classes.
O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo (Ásia, África, América, Oceania), que estavam sendo incorporados à economia mundial. Seus principais mecanismos foram sendo alterados para se adaptar às novas formas de relações políticas  e econômicas estabelecidas entre as nações ao longo do tempo.

Para entender melhor a evolução do capitalismo, vamos considerar três fases principais nesse processso:
1°fase: capitalismo comercial ou pré-capitalismo;
2°fase: capitalismo industrial;
3°fase capitalismo financeiro ou monopolista.

As duas primeiras fases são caracterizadas pelas relações entre colônia e metrópoles, que praticamente estabeleceram as relações ecônomicas as econômicas do capitalismo monopolista.
A divisão internacional do trabalho (DIT) explica as relações econômicas entre os países em determinado momento da  história dos homens. Ela expressa a especialização de um país no mercado internacional. Como essas relações mudaram no decorrer dos tempos, a DIT também se alterou, refletindo as características de cada etapa da evolução do capitalismo.

O capitalismo comercial corresponde ao período das Grandes Navegações ou dos Descobrimentos, quando novas terra - principalmente do continente americano ou Novo Mundo - passaram a fazer parte do do mundo até então  conhecido: o Velho Mundo. Nessa época, países da europa ocidental (Portugal, Espanha, França, Inglaterra e Holanda) obtiveram grandes conquistas territoriais dos recém-conquistados suas colônias.

As regras das relações entre metrópoles e colônias foram estabelecidas pelo Pacto Colônial só podia manter relações comerciais como a metrópole.  Surgiu, assim a primeira divisão  internacional do trabalho, caracterizada pelo envio de matérias-prima das colônias às metrópoles e de produtos manufaturados das metrópoles às colônias.

Inspirados na teoria econômica mercantilista, os países colonizadores, através do comércio com suas colônias, geraram acúmulo de capital, que permitiu o desenvolvimento  do que muitos consideram o inicio  do verdadeiro capitalismo, isto é, a sua fase industrial.

Pontos fundamentais da política mercantilista

  • Balança comercial favorável: todo país deveria exportar mais do que importar.
  • Protecionismo: conjunto de medidas que visavam proteger a produção nacional da produção de outros países.
  • Metalismo: a riqueza e a importância de um país eram avaliadas pela quantidade de metais ( moedas) que conseguisse acumular.
  • Monopólio: a metrópole tinha a exclusividade no comércio com o colônia.
As potências colônias dos séculos XVI e XVII (Portugal, Espanha e outras) se enriqueceram e se fortaleceram com a atividade comercial e o colonialismo.



Grandes navegações(séculos XV-XVI)



 O capitalismo industrial

Foi a fase o capitalismo, que se estende do século XVIII ao XX, foi marcada pela Primeira e pela Segunda Revolução industrial e pela partilha da África e Ásia entre as potências colonialistas européias.
A produção industrial tornou-se a maior fonte de lucro, e o trabalho assalariado passou a ser  a relação típica do capitalismo: quem recebia salário acabava consumindo os produtos que ajudavam a fabricar. esse  pensamento pode explicar a defesa do fim do trabalho escravo nesse período, pois escravos não consumiam.
Com o capitalismo industrial, o trabalho tornou-se mercadoria. Aquele que não possuía meios de produção, nem capital, vendia a sua mercadoria, ou seja, a sua força de trabalho.
Nessa etapa, muitas das antigas colônias da América conseguiram sua independência. Como a indústria se expandia cada vez mais, as metrópoles precisavam procurar novos fornecedores de matérias-primas e novos mercados de consumo para seus produtos industrializados. As potências européia, então, partiram em busca  de novas colônias, dando início à partilha da África e e da Ásia. Esse período ficou conhecido como imperialismo.
A DIT da fase do capitalismo industrial, na realidade, mudou muito pouco em relação à do capitalismo comercial.  A diferença principal é as metrópoles passaram a ser industrializadas.
Partilha da África(1914)

No século XVIII, as idéias liberais da burguesia passaram a dominar os países europeus e atingiram também a economia. Os economistas eram favoráveis à  liberdade total do mercado, pois a concorrência de preços promoveria a equilíbrio . Portanto, o estado não deveria intervir no processo econômico.
A teoria do liberalismo econômico foi defendida pelo economista e filósofo escocês Adam Smith (1723-1790), em seu livro A riqueza das nações, publicada em 1776. Para ele, ao Estado caberia apenas zelar pela propriedade e pela ordem.

O capitalismo financeiro ou monopolista

A fase do capitalismo financeiro se desenvolveu, principalmente, após a Primeira Guerra Mundial(1914-1918).
O capital acumulado nas etapas anteriores precisava outras atividades , além da indústria, para  ser multiplicado. Foi quando  se desenvolveram os bancos, as corretoras de valores e grandes grupos empresariais e se iniciou o processo de concentração do capital.
A união do capital industrial com o capital de financiamento (bancário) deu origem ao capital financeiro, que é a própria essência do capitalismo, caracterizado pelos mercados de capitais negociados nas Bolsas de Valores.
A concentração de capital nas mãos de poucas pessoas ou empresas trouxe, como consequência, a monopolização e , depois, a oligopolização de vários seteres da economia, que passaram a ser dominados por grandes grupos econômicos. O motico da união de empresas era efrentar a concorencia, que ficava cada vez maior.
O monopólio ocorre quando uma empresa domina a oferta  de determinado produto ou serviço. Uma forma mais aprimorada de monopólio e o oligopólio, que acontece quando um grupo de empresas domina o mercado  de determinado produto ou serviço.
Podemos citar as seguintes formas de oligopólio:

Cartel: formado por empresas independentes, que fazem produtos semelhantes e têm acordos para dominar o mercado desses produtos como por exemplo, montadoras de veículos, empresas de tabaco, de exportação de petróleo, etc.

Truste: acordo entre empresas que abrem mão de sua independencia legal e se unem para constituir uma única organização . Os trustes podem ser:
  • horizontais, constituídos por empresas que trabalham  com o mesmo ramo de produtos. Por exemplo, um truste de empresas de produtos de laticínios.
  • Verticais, formados por empresas que cuidam de todo o processo de produção: desde a matéria-prima até o produto acabado. Por exemplo, uma empresa que controla desde a plantação de cana-de-açúcar até a produção  industrial de açúcar e álcool.
Conglomerado: constituído por que diversificam sua produção para dominar a oferta de certos produtos ou serviços. Geralmente é administrado por uma holding. Um exemplo de conglomerado é uma empresa que atua em vários ramos de produção, como a Mitsubishi, que fabrica carros , televisões , canetas.

Holding: é o estágio mais avançado do capitalismo. Numa holding, uma empresa, criada para administrar outras, possui a maioria das ações. As grandes corporações usam essa forma de administração.

Nesta terceira fase do capitalismo, o liberalismo econômico foi perdendo terreno, até ser provisoriamente esquecido , ápós a crise de 1929, decorrente da queda da Bolsa de Valores de Nova York.
A parir de então, o Estado assumiu duplo papel como agente econômico: o de empresário, como proprietário de empresas(estatais), e o de planejador. Assim , passou a intervir diretamente na economia.
O principal teórico e defensor da intervenção estatal na economia oligopolizada foi o inglês John maynard keynes(1883-1946). Sua teoria, que ficou conhecida como  keynesianismo, propunha a intervenção do estado na vida econômica com o objetivo de garantir o pleno emprego. O keynesianismo deu início a  época de importantes progamas de intervenção pública, ação social e reativação de indústrias nacionais políticas protencionistas.
Após a crise de 1929, o democrata Frankin Delano Roosevelt, presidente eleito dos Estados Unidos, decidiu intervir na economia com um plano que se orientava pelas idéias de John Marnard Keynes. Esse plano ficou conhecido como New Deal ou "Novo Acordo", e foi fundamental para a  recuperação da economia norte-americana nos anos 1930.
O Estado assumiu o papel de planejador da economia, oferecendo empregos em obras públicas, criando  o seguro-desemprego, controlando preços de produtos industrializados e agrícolas, apoiando pequenos empresários e agricultores e outros profissionais.


Depois da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o fato mais marcante do capitalismo financeiro do capitalismo financeiro foi a expansão das empresas multinacionais , hoje chamadas, mais apropriadamente, de transnacionais. Essas empresas mantiveram a sede em seu país de origem e abriram unidades de produção em países  subdesenvolvidos, em busca de menores custos de matéria-prima, mão de obra, incentivos fiscais e mercado consumidor. Com consequência, esses países subdesenvolvidos se  industrializaram, como aconteceu com Brasil, México, Argentina, Índia e África do Sul, em uma primeira etapa, e, mais tarde com os Tigres Asiáticos (Cingapura, Taiwan, Coréia do Sul e Hong Kong)
Na década de 1980, as idéias do liberalismo cássico foram retomadas. MAs, depois da lição da crise de 1929, foram  vistas com um pouco de mais cautela.
O neoliberalismo prega a não-intervenção do estado na economia, a não ser para controlar as crises. A política neoliberal cresceu e praticamente dominou a economia mundial na década de 1990.


A descolonização da África e da Ásia, o surgimento dos países subdesenvolvidos industrializados e a expansão das transnacionais estabeleceram três DITs bem diferentes, que  se sucederam durante a fase do capitalsimo financeiro:
DIT do imperialismo: Entre o período que vai do fim da Primeira Guerra (1918) até o fim da Segunda Guerra (1945), algumas potências ocidentais (Inglaterra, França, Holanda) ainda mantiveram suas colônias na Ásia e na África. Portanto, a divisão internacional  do trabalho permaneceu  a mesma  da fase do imperialismo ou do capitalismo industrial: as colônias enviavam ma´terias-primas às metrópoles, das quais recebiam produtos industrializados.
As antigas colônias da América mantinham esse mesmo relacionamento com as potências da época, apesar de já estarem independentes politicamente.
Após a Segunda Guerra Mundial, duas DITs passaram a conviver na economia global e permanecem até hoje: a DIT clássica  e da nova ordem mundial.
DIT clássica: Com a descolonização da Ásia e da África (1946-1975), os novos países surgidos nesses continentes passaram a fazer parte,ao lado das antigas colônias da América, do conjunto dos países subdesenvolvidos. Estabeleceu-se, então, a DIT clássica, que caracteriza as relações entre os países desenvolvidos  e os países subdesenvolvidos não industrializados.
DIT da nova ordem mundial: Nesse mesmo período, com a industrialização de alguns países subdesenvolvidos, uma outra DIT passou a conviver com a DIT clássica. É a que expressa o relacionamento entre os países desenvolvidos e os países subdesenvolvidos. Essa nova divisão internacional do trabalho  é muito  mais complexa, envolvendo  o fluxo de mercadorias e capitais de ambos os lados. esses países subdesenvolvidos deixaram de ser unicamente fornecedores de ma´teria-prima para os países desenvolvidos. 


O keynesianismo e Estado do Bem-Estar Social: A crise de 1929 tornou-se mundial e abalou todo o sistema capitalista. Para  reestruturar a economia dos países mais atingidos, Jonh Maynard Keynes, em sua obra Teoria Geral, estabeleceu alguns princípios para a ação desse governo que já começava a existir em alguns  países, como nos EUA. O estado do Bem-Estar Social deveria suprir as necessidades básicas da população, preocupando-se com condições de saúde, de trabalho, com a educação e com o sistema previdenciário.
O neoliberialismo: A volta às teorias do liberialismo econômico (neoliberialismo) se efetivou nas décadas de 1970 e 1980. O governo Thatcher, no Reino Unido, já no fim da década de 1970, foi o primeiro, entre os países desenvolvidos, a  adotar o programa neoliberial. Logo depois, na década de 1980, Ronald reagan fez o mesmo nos EUA. Entre os países subdesenvolvidos, o Chile foi neoliberal e pioneiro, nos aos 1970, durante os tempos de ditadura do general Pinochet. Na verdade, a  teoria neoliberal nasceu  na Europa e na América do Norte como uma reação ao  estado intervencionista  e ao Estado do Bem-Estar Social (Welfare Stae). Sua origem está no texto do economista austríaco Friedrich Hayek (1899-1992), O caminhoda servidão, de 1944. Para os neoliberias, o objetivo do capitalismo estava ameaçado pelas reivindicações trabalhistas (sindicatos) e pelos gastos sociais. Cortar os gastos e manter uma taxa de desemprego que diminuísse o poder dos sindicatos foram as soluções apontadas pelos neoliberais para eliminar esses obstáculos. A privatização de empresas empresas estatais faz pare da política neoliberal.
A Terceira Via: existe um caminho alternativo e muito atua: a política  socialmente européia, que promete promover justiça social. Esse caminho alternativo é considerado a Terceira Via. Seus principais ideolzadores são: Tony Blair (Reino Unido), Leonel Jospin (França) e Gerhard Schröeder (Alemanha).. A teceira Via perdeu força nosúltimos anos do século XX e inicio do século XXI por falta de proposta concetas e imediatas e pela impossibilidade de conviveêcia com neoliberialismo, que dominou a economia nesse período.

















Nenhum comentário:

Postar um comentário